Acidente voo 1907 da Gol

Em 29 de setembro de 2006, o acidente aéreo que vitimou 148 passageiros e 6 tripulantes do voo 1907 da Gol sensibilizou o país. Também colocou em xeque a imagem da empresa nascida com a proposta de democratizar o acesso ao transporte aéreo no Brasil. A superação do fato foi possível por conta da implementação de ações previstas num amplo plano de comunicação para situações de crise, criado pela agência em sintonia com o plano de emergências da Gol.

Desde o anúncio do desaparecimento da aeronave, uma série de procedimentos começou a ser executada. Além da disponibilidade imediata de equipe e de estrutura para recepção de demandas de jornalistas de todo o mundo, uma coletiva de imprensa foi preparada para o dia seguinte. Tudo em conformidade com as definições aprovadas pela empresa na concepção do manual e sob liderança do Comitê de Gestão de Crises estabelecido no plano.

O posicionamento da empresa, também definido com antecedência, mostrou-se adequado pela aplicação de pesquisas de opinião nos dias que se seguirem ao acidente.

O compromisso com o atendimento aos familiares das vítimas e o cuidado com a transparência reforçaram a credibilidade da opinião pública na companhia. Dados de volume de venda de passagens e a própria variação das ações da Gol na Bolsa de Valores de São Paulo serviram de referência para acompanhamento do sucesso na gestão da crise.

As ações, cotadas em R$ 75,00 no dia do acidente, retomaram o mesmo patamar apenas cinco dias depois e se valorizaram nas semanas seguintes. O volume diário de venda de passagens chegou a apresentar crescimento nas semanas posteriores, em completa dissonância com o padrão do mercado, no qual se observam quedas importantes na procura pelas companhias vítimas de acidente aéreo nos meses subsequentes às ocorrências. Até hoje, o trabalho de gestão da crise do acidente que vitimou o voo 1907 da Gol é tomado como referência de atuação bem-sucedida no mercado de aviação e no mundo corporativo.

Veja mais casos

  • juntos avançaremos polegada por polegada. vamos conversar?